Uma das atividades que a equipe de enfermagem realiza frequentemente é a administração de medicamentos. Para fazê-lo corretamente, na dose exata, muitas vezes ela deve efetuar cálculos matemáticos, porque nem sempre a dose prescrita corresponde ao contido no frasco.

Os cálculos, todavia, não são muito complicados; quase sempre podem ser feitos com base na regra de três simples.O cálculo de gotejamento a principio é fácil, porém alguns detalhes podem confundir alguns profissionais e alunos de enfermagem, sendo assim vou tentar exemplificar esse cálculo em três exemplos.

 

BOMBA DE INFUSÃO


Grande parte dos profissionais de enfermagem utiliza a bomba de infusão, que facilita a administração da medicação, esse equipamento utiliza o equipo de soro padrão para bombear e controlar os líquidos a serem infundidos para dentro do corpo. O controle de fluxo neste equipo sem a bomba infusora é normalmente feito por gravidade e estrangulamento da luz do tubo por um dispositivo chamado de pinça rolete.

Quanto maior a luz internado tubo, maior a vazão e vice-versa. Este método não é estável e varia muito com a temperatura e acomodação do material do tubo, que mede de 2,5 aos 4 milímetros de diâmetro e cerca de 2 metros de comprimento. Com a bomba de infusão, um acionador mecânico provoca um deslocamento do líquido no interior do tubo por ação peristáltica. Este mecanismo pode ser classificado de rotativo ou linear.

O rotativo é composto de um rotor principal munido de roletes que pressionam o tubo dentro de uma caçapa, algo como meia panela. O linear é composto de teclas que pressionam o tubo de plástico em sequência e modo sinodal, também de encontro há um encosto. O mecanismo é acionado por um motor de passos com redutor e comandado por um circuito eletrônico de precisão, capaz de informar ao operador o fluxo e quantidade de líquido a infundir ou já processada. O fluxo pode variar desde 0,5 mililitros por hora até 1 litro por hora e quantidades de 1 ml até 10 litros, conforme necessidade do paciente.

 

INTRODUÇÃO AO CÁLCULO DE GOTEJAMENTO DE SORO

Antes de fazermos as contas, precisamos saber alguns detalhes como:

1 gota equivale a 3 microgota

1 ml do equipo de macrogota equivale a 20 gotas

1 ml do equipo de microgota equivale a 60 gotas

 

FÓRMULA DO CÁLCULO DE GOTEJAMENTO

G = Gotejamento (gts/min)

V = Volume da solução (ml)

T = Tempo (horas)

 

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO

1º Prescrição

Uma solução de 500 ml precisa ser infundida, via endovenosa em 8 horas. Quantas gotas por minuto será administrada nessa prescrição?

A – Quando o resultado for fracionado, aplica-se o método do arredondamento. (Arredondamento)

gotejamento por minuto

 

 

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO DE MACROGOTA

2º Prescrição (cálculo para tempo menor que 1 hora)

Uma solução de 120 ml precisa ser infundida, via endovenosa em 30 minutos. Quantas gotas por minuto será administrada nessa prescrição?

A – Quando o tempo é menor que 1 hora, nesse caso 30 minutos, temos que fazer uma conversão de minutos para horas utilizando a regra de três. Por que a fórmula aceita apenas tempo em horas!

B – O segundo passo é colocar o resultado 0,5 na fórmula e fazer o cálculo final.

gotejamento por minuto 2 conta

 

 

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO DE MICROGOTA

3º Prescrição (cálculo para equipo de microgotas)

Uma solução de 1.000 ml precisa ser infundida, via endovenosa em 12 horas. Quantas microgotas por minuto será administrada nessa prescrição?

A – Quando o resultado da conta fica em decimais, fazemos o cálculo do arredondamento. (Arredondamento)

gotejamento por minuto microgotas

 

Gostou da matéria?! Deixe seu comentário ou compartilhe!