Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Com grande incidência em diversos países, o câncer de pele é um mal que anda tirando o sossego de muitas pessoas. A exposição excessiva ao sol em conjunto com a falta de consciência no momento da prevenção resulta em graves problemas à saúde. Conheça o método do ABCD que facilita a identificação do câncer.

A pele, o maior órgão do corpo humano, é composta por duas camadas: a epiderme, na parte externa, e a derme, na parte interna. Além de regular a temperatura do corpo, ela serve de proteção contra agentes externos, como luz do sol e calor, contra agentes infecciosos e agentes químicos (ingestão de arsênico, exposição a raios-X e rádio).

O câncer de pele é um aumento incontrolável de células cutâneas anormais. Se não forem verificadas, essas células cancerosas poderão se espalhar da pele para outros tecidos e órgãos.

Eles podem ser de vários tipos. Os mais comuns são os carcinomas (carcinoma basocelular e carcinoma epidermoide) com incidência mais alta, porém menor gravidade, e os melanomas que, apesar de menos frequentes, são mais graves por causa do risco de metástases aumentado.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) dão conta de que em 2008, 24,6 % dos tumores malignos do Brasil eram de pele e, desse total cerca de 5% são melanomas, as principais responsáveis por mortes.

MÉTODO ABCD

O diagnóstico precoce, ou seja, nas fases iniciais do câncer de pele aumenta sua chance de cura. Como o câncer de pele é visível a olho nu, o exame diagnóstico inicial é a inspeção visual. O enfermeiro observará manchas ou feridas na pele e se elas apresentam sintomas com feridas que não se cicatrizam manchas de crescimento assimétrico e bordas não delimitadas, etc. Para o melanoma, normalmente os médicos usam os sinais ABCD:

Assimetria: uma metade da pinta não se parece com a outra.

Bordas: irregular, mal definida, entalhada ou com terminação abrupta.

Coloração variável: vários tons. O sinal benigno habitualmente tem uma cor só.

Diâmetro aumentado: maior de 6 mm

 

 O AUTOEXAME

Recomenda-se que pessoas façam o autoexame de pele regularmente e observe se há alguma mancha, lesão, ferida, sinal ou pinta nova ou que apresente alguma modificação. Não se esqueça de examinar também a palma das mãos, os vãos entre os dedos, a sola dos pés e o couro cabeludo. Se uma pinta apresentar qualquer dos sinais da regra do ABCD, deverá ser examinada por um especialista.

O especialista poderá orientar com relação à remoção da lesão, bem como direcionar para exame periódico acompanhado de fotografia das lesões, ou para a dermatoscopia (exame com auxilio de uma óptica para melhor visualizar as estruturas) e mapeamento corporal para acompanhar modificação ou aparecimento de novas lesões.

 

QUAIS OS FATORES DE RISCO?

Raça:

Câncer de pele é mais comum em pessoas de pele clara, cabelo e olhos claros, que ficam facilmente vermelhas quando se expõem ao sol e que muitas vezes descascam facilmente a pele após se queimarem no sol.

Idade:

O melanoma aumenta rapidamente após os 20 anos entre pessoas brancas.

História pessoal:

Pessoas com certo tipo de sinais (nevos) ou que têm Síndrome do Nevo Displásico têm mais chance de desenvolver melanoma.

História de doenças anteriores:

Pessoas que já tiveram câncer de pele do tipo não melanoma têm mais chance do que outras de desenvolver esse tipo de câncer.

Exposição:

Pessoas que se expõem por um longo período ao sol ou Raios-X e luz ultravioleta têm mais chance de desenvolver esse tipo de câncer.

 

TRATAMENTO

Em ambos os casos, a cirurgia é o tratamento mais indicado. Porém, dependendo da extensão, o carcinoma basocelular pode também ser tratado com o uso de medicamento tópico ou radioterapia.

No caso do carcinoma epidermóide, o tratamento usual é feito basicamente com procedimento cirúrgico e radioterapia.

 

PREVENÇÃO

Embora o câncer de pele apresente altos índices de cura, ele também é um dos tipos que mais cresceu em número de diagnósticos nos últimos anos. A melhor maneira de evitar sua manifestação é com prevenção. A exposição ao sol deve ser evitada no período das 10h às 16h. Ainda assim, mesmo durante o horário adequado, é necessário utilizar a proteção adequada como chapéu, guarda-sol, óculos escuros e filtros solares com fator de proteção 15 ou mais.

O filtro solar ameniza alguns efeitos nocivos do sol, como as queimaduras, dando, portanto, uma falsa sensação de segurança. É importante lembrar que os filtros solares protegem dos raios solares, no entanto, eles não têm o objetivo de prolongar o tempo de exposição solar. Todos os filtros solares devem ser repassados a cada 30 minutos de exposição.

VÍDEO

 

Gostou? Compartilhe ou deixe seu comentário!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.