Pessoal esse é o nosso primeiro Guest Post em parceria com o blog  Saúde e Medicina tendo a Julia como responsável. Neste artigo de alta qualidade é abordado o tema vaginose bacterina, quais os sintomas, riscos e tratamento.

artigo fonte: www.saudemedicina.com/ 


Entre as doenças sexualmente transmissíveis, a vaginose bacteriana é uma das mais freqüentes e podem acometer a mulheres de todas as idades. Quando a bactéria causadora da doença está presente em grande quantidade na região genital da mulher, seu desenvolvimento ocasiona esta doença, por meio de uma infecção com sintomas que são de fácil percepção. Neste momento, é muito importante que mulher procure um médico especialista para seja feito o diagnóstico correto e para o tratamento tenha início.

Algumas das doenças sexualmente transmissíveis são de fácil diagnóstico e também de fácil tratamento, entretanto, quando a mulher não segue as indicações médicas de forma correta, seu tratamento pode ser afetado e a doença pode evoluir causando complicações com problemas muito mais sérios para a saúde e para o bem estar da mulher. A presença da vaginose bacteriana é uma delas, e desta forma, o tratamento indicado e as orientações médicas devem ser respeitadas durante todo o período em que a paciente estiver sob cuidados médicos.

 

QUAIS OS SINTOMAS DA DOENÇA

A região genital é extremamente sensível para todos os indivíduos e, especialmente para as mulheres, qualquer alteração percebida no local deve indicar algum problema que deve receber o diagnóstico de um médico profissional e o tratamento correto. Para o caso da mulher que desenvolve e apresenta a vaginose bacteriana, os sintomas podem aparecer da seguinte forma:

 

  • Alterações com a presença de fortes odores após a relação sexual sem a utilização de preservativo
  • Aparecimento de líquidos e substâncias de cor amarela e também de cor cinza, em pequena quantidade
  • Presença de coceira na região vaginal, tanto no canal vaginal quanto no interior da vagina

 

É importante lembrar que estes sintomas podem não aparecer juntos de uma só vez, entretanto, quando a mulher nota a presença de qualquer alteração deste tipo, ela deve procurar um médico de forma imediata, para que sejam realizados os exames necessários e feito o diagnóstico correto sobre o problema.





 

QUAIS OS RISCOS QUE A DOENÇA OFERECE

 Assim como acontece para todas as doenças sexualmente transmissíveis, quando o tratamento não é seguido de forma correta, o aparecimento da doença pode ocasionar outros problemas de maior risco e mais prejuízos para a saúde da mulher. Uma infecção do tipo da vaginose bacteriana quando não tratada da forma adequada e no tempo certo, pode deixar a mulher suscetível ao aparecimento de outras doenças ainda mais sérias, estando entre elas inclusive, a AIDS.

Isto acontece porque, enquanto a mulher apresenta a vaginose, todas as suas defesas estão prejudicadas e seu corpo tem muito mais chances de receber outros vírus e bactérias de forma rápida. Desta forma, o melhor tratamento para a doença é realmente a prevenção. É muito importante que a mulher não esteja entre os grupos que diversificam seus parceiros sexuais, da mesma forma como é imprescindível o uso de preservativo em todas as relações sexuais. Tão importante quanto estas medidas é a consulta médica freqüente, pois, somente um profissional médico tem a total condição de avaliar a saúde da mulher e fazer os diagnósticos corretos. A consulta médica deve ser feita de forma freqüente, mesmo quando não há nenhum sintoma aparente, sobre nenhuma doença.

 

COMO TRATAR A VAGINOSE 

A partir do momento em que a mulher procura um especialista e é diagnosticada a presença da vaginose bacteriana, o médico imediatamente vai indicar a forma como esta paciente deve ser tratada. Esta receita é específica para cada paciente, pois diversos outros fatores da saúde da mulher podem influenciar na forma como o médico vai receitar este tratamento. De forma geral, esta doença é combatida por meio do uso de remédios, como antibióticos, que devem ser ingeridos durante o tempo que o médico indicar.Neste período, o uso de preservativo em todas as relações sexuais também permanece sendo fundamental. Todo paciente em fase de tratamento deve entender que, cada um das recomendações feitas pelo médico especialista deve ser seguido de forma estrita, com o objetivo de alcançar o resultado desejado e a cura da doença em questão.

 

 

Gostou? Compartilhe ou deixe seu comentário!